Tendas Bioclimáticas Casa Firjan

Projetamos tendas bioclimáticas em bambu e membranas têxteis instaladas na Casa Firjan, promovendo um ambiente saudável ao ar livre com sustentabilidade e baixo impacto ambiental.

A Casa Firjan está localizada no histórico Palacete Linneo de Paula Machado, cercada por jardins verdes no bairro de Botafogo, Rio de Janeiro, em uma área de 6.700 m 2 . A Casa Firjan foi idealizada para promover o diálogo entre os recentes desafios enfrentados pelas indústrias brasileiras, como tradição, inovação, criatividade, tecnologia e sustentabilidade. Durante o verão de 2023, após a pandemia de covid-19, uma instalação feita com biomateriais criou sombras e coberturas para o público, protegendo do sol e da chuva.

A estrutura utiliza mastros de bambus tratados com defumação e revestimento acrílico para a exposição dos colmos de bambu às intempéries. As conexões de aço foram projetadas para transmitir as tensões das membranas para os mastros e, em seguida, transferi-las para o solo. Membranas em algodão e tecido acrílico foram selecionados para a concepção de dois modelos: a Tenda-estrela e o coreto Bangalô. Ambas as tendas aplicam o princípio estrutural de forma-ativa, usando tecnologia de membranas tensionadas.

A Tenda-estrela foi projetada através da sobreposição de membranas modeladas de algodão resultando em um espaço apropriado ao clima tropical do Brasil. Os principais materiais utilizados no projeto são o bambu e o algodão, materiais que respiram, sendo um atributo importante para as construções tropicais. Cada módulo da Tenda-estrela ocupa uma área de 74 m 2 empregando bambus da espécie Phyllostachys edulis (Moso), utilizando postes com diâmetro médio de 100 mm, espessura de parede de 12 mm, medindo 3, 4 e 5 metros de comprimento.


O Bangalô é uma estrutura autoportante medindo 52 m² projetado com uma planta hexagonal para apresentações musicais. O Bangalô emprega membrana acrílica para a cobertura dos músicos e da equipe de produção. Ligações flexíveis com cabos de poliéster permitem uma montagem rápida e leve. O Bangalô utiliza bipés, caibros e vigas de bambus da espécie Phyllostachys aurea com diâmetro médio de 50 mm e espessura de parede de 6 mm.

Os biomateriais permitiram o uso limpo do local com uma baixa pegada de carbono, sem o uso de máquinas e equipamentos pesados. O sistema estrutural ultraleve resultou em um ambiente sinérgico e permeável para o público e o ambiente.
Fotos: Juan Dias

Slide 1
Slide 1
Slide 1
Slide 1
previous arrow
next arrow
Compartilhe